Testes Complementares

A avaliação do estado de saúde ou de doença do paciente poderá passar pela aplicação ou avaliação de alguns testes.
Os profissionais da clínica podem, quando se justifique, ter a necessidade de recorrer a alguns desses testes para poder prosseguir com uma melhor avaliação.

Testes

Genéticos

Constuituem uma ferramenta importante para a realização de programas personalizados e eficazes, desde que associados aos dados clínicos e pessoais do paciente. Os nossos genes interferem na vida quotidiana e atuam sempre que comemos, bebemos, fazemos exercício físico, etc, pelo que se estabelecem ligações entre os nossos genes e o ambiente. Há que saber a sensibilidade dos nosso genes aos nossos hábitos alimentares e ambiente de forma a definir as opções mais adequadas para cada um dos pacientes

Stress

Oxidativo

Ocorre quando há um significativo aumento na produção de radicais livres, ocasionando danos celulares – define-se como uma sobrecarga de espécies reativas de oxigénio que causam prejuízos à estrutura das biomoléculas de DNA, carbohidratos, lípidios e proteínas, além de outros componentes celulares.
É responsável pelo envelhecimento precoce e está associado a vários tipos de doenças cardiovasculares, neurológicas e certos tipos de cancro. A avaliação do stress oxidativo está indicado para pessoas com mais de 40 anos, que queiram retardar o processo de envelhecimento, prevenir alguns tipos de doenças ou aquelas que tenham antecedentes familiares ou pessoais de doenças relacionadas com o stress oxidativo.

Hipersensibilidade

a metais

O contacto com metais pode provocar processos de hipersensibilidade em determinados indivíduos com predisposição genética. As pessoas com implantes dentários, placas, parafusos ou próteses, tatuagens, dispositivo intra uterino ou piercings podem causar, ao longo do tempo, sensibilidade aos metais. Os principais sinais desta sensibilidade podem ser associados a dores de cabeça, enxaquecas, depressão, insónias e nevralgias.